Mentiras são…mentiras, não?

A mentira e a religião andam juntas. Há pessoas que dizem ser religiosas, por isso não mentem. As vezes achamos que a mentira é considerada mentira quando são “cabeludas” – na verdade, nem sabia que elas tinham cabelos. Mas, há também “mentirinhas”. Porque há muitas maneiras de se contar uma mentira, por exemplo: Na  igreja cantamos “Espírito, enche a minha vida…”, mas temos pouco tempo de oração semanal de comunhão com Deus. Cantamos também o cântico “Servi ao Senhor com alegria…”, mas damos desculpas por não termos tempo de servir na igreja, só dá prá ir no culto.

Cantamos “Minh’alma engrandece ao Senhor…”, mas quase não o glorificamos na semana. Cantamos “Chuvas de bênçãos teremos…”, entusiasmados com o tempo de seca, mas quando começa a chover, deixamos de nos congregar por causa da chuva. Cantamos “Sei que foi pago um alto preço, para que contigo eu seja um, meu irmão…”, mas nos distanciamos quando uma “rusga” qualquer exista entre nós.

Bem, como disse, mentiras são mentiras, faladas ou cantadas. Sempre deixei de cantar alguns hinos na igreja porque sabia que não estava apto prá cantar naquele momento e declarar suas letras. Como diz o ditado popular: “Falar é fácil, fazer é que são elas”.

Você anda mentindo?

Pense Nisso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *