A Teoria de Einstein sobre a Vida…

“Todo progresso tecnológico é como um machado nas mãos de um demente”. Palavras de Albert Einstein. Ele fora contra a guerra. Um dos seus melhores amigos, Fritz Harver, produziu a primeira arma química, um gás venenoso comandado pelo próprio Harver,  usada na 1a Guerra, e Einstein o chamou de doente patológico e grotesco.

Foi nesse período que, pela primeira vez, Einstein percebeu que a vida humana era de muito maior valor que todas as teorias tecnológicas. Que a vida era mais que física, e que havia coisas mais importantes para defender, assumindo o risco pessoal destas posições.

Bem, não é difícil perceber que a religião tem feito exatamente o que uma arma letal tem feito nas guerras. Uma arma que mata, não imediatamente, mas lentamente. Um gás que paralisa aos poucos a esperança, o amor, o interesse sincero, paralisa a própria vida. Vida que é mais importante do uma tradição, um costume, uma posição e uma estrutura, um orgulho nacional. Aliás, foi assim que Cristo fez, ensinando a mais linda lição de adoração, a uma mulher que não tinha boa reputação, junto a um poço.

Não precisamos ser religiosos para entender o valor que Deus dá a vida humana. Basta ver e entender o que Ele fez em relação aos homens. Que valor você dá a sua vida? A vida dos outros?

Pense Nisso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *